Estadão

Fundado em 4 de janeiro de 1875, O Estado de S. Paulo tornou-se referência na imprensa brasileira e no mercado de comunicação neste quase um século e meio de existência. Afirmando sua independência desde o primeiro número, o jornal que nasceu com princípios republicanos e abolicionistas quando o Brasil ainda vivia sob um regime monárquico noticiou todos os acontecimentos históricos do País, do mundo e da cidade de São Paulo. Até 1890 chamado A Província de S. Paulo, o Estadão – como ficaria conhecido ao longo dos anos – também levou a ousadia de sua atuação jornalística para o campo empresarial e publicitário, sempre incorporando cada avanço tecnológico, novos formatos, aprimorando-se constantemente e contribuindo para o desenvolvimento do setor de comunicação e da sociedade.

Poucos veículos de comunicação podem se orgulhar de ter testemunhado e protagonizado um arco histórico dessa envergadura, desde a Proclamação da República e da abolição da escravatura, de ter publicado reportagens que originaram um clássico da literatura brasileira, de ter noticiado e influenciado passagens determinantes dos rumos do País, de estar no centro de discussões culturais que moldou gerações. Desde o princípio, a relevância desses conteúdos é acompanhada por anúncios publicitários que igualmente marcariam época e também entrariam para a história.

As inovações do Estadão remontam à sua origem, quando a tiragem era de apenas 2.025 exemplares. Pioneiro em venda avulsa, quando todos os jornais da cidade eram distribuídos por assinatura ou procurados pelos leitores em suas redações, o Estadão implantou um inovador sistema de distribuição, com o francês Bernard Gregoire saindo a cavalo pelas ruas anunciando as notícias do dia.

Com o aumento progressivo das tiragens ao longo dos anos foram sendo implantadas as novidades gráficas, de distribuição e de difusão que levaram os conteúdos jornalísticos e publicitários a alcançar um número cada vez maior de leitores em diversos formatos. Dos primeiras páginas coloridas às modernas telas dos computadores, tablets e celulares, todas as inovações que ampliassem as possibilidades dos leitores, da redação e dos anunciantes foram incorporadas pelo jornal no momento em que ainda eram apenas experimentos.

Publicando o que há de melhor em conteúdo jornalístico, o jornal ampliou a sua gama de ofertas com a criação de unidades específicas para cada área de atuação, formando o Grupo Estado (atualmente composto também por Agência Estado, Rádio Estadão, Rádio Eldorado, Oesp Mídia e Estadao.com.br). Apesar da particularidade de cada meio, todos atuam de forma integrada, proporcionado aos leitores e anunciantes uma experiência que engloba diferentes formatos de acordo com a necessidade.

O compromisso com a ética e a qualidade que norteia o jornal desde a sua fundação levaram a um reconhecimento sempre renovado pelo público e pelo mercado.